Com entrada de Castelo no palanque de Dino, socialista deixou de ser o único candidato do comunista ao Senado Federal.

Laranja em 2010 - segundo José Reinaldo Tavares, Roberto Rocha acreditou que seria candidato único ao Senado pela oposição dinista em 2014. Foto: Divulgação / PCdoB

A ROCHA VIROU AREIA Laranja em 2010 – segundo José Reinaldo Tavares, Roberto Rocha acreditou que seria candidato único ao Senado pela oposição dinista em 2014. Foto: Divulgação / PCdoB.

A propalada maturidade e união da oposição dinista em torno da candidatura de Roberto Rocha (PSB) ao Senado Federal durou apenas um mês e dois dias, contados.

No dia 13 de março deste ano, seis partidos que seguem os rastros do comunista Flávio Dino resolveram anunciar o consenso em torno de um único nome para disputar a vaga que será aberta com a saída do senador Epitácio Cafeteira (PRB), e que este nome seria o do vice-prefeito de São Luís.

Exatamente um mês e dois dias depois – inclusive no mesmo horário, conforme revelado pelo Atual7 na última quinta-feira (17), umas das legendas, PCdoB, resolveu abrir para os tucanos a mesma vaga até então firmada em juramento apenas para Rocha, entrando agora na disputa o tucano João Castelo, símbolo do atraso para Dino nas recentes eleições de 2008, 2010 e de 2012, mas grande liderança política e motivo de honra antes mesmo de terminar 2013.

Algumas semanas antes de ser traído pelo comunista, o ex-único pré-candidato ao Senado chegou a fechar acordos de fornecimento de estrutura de campanha – e votos de cabresto de Balsas – com os aliados de ocasião José Reinaldo Tavares (PSB) e Domingos Dutra (SDD).

Agora, com o cumprimento da promessa da dupla, que desistiu da corrida ao Senado em favor de Rocha, resta saber se, com a entrada de Castelo, o socialista vai manter a palavra – ou dar uma de Flávio Dino.

Esse é o verdadeiro caráter do chefão comunista, o de fazer conchavos com qualquer político, até mesmo com aquele a quem um dia chamou de atraso, no caso o ex-prefeito João Castelo seu virtual candidato ao senado do “rifado” Roberto Rocha. Tudo na ânsia desenfreada de chegar ao poder sem se importar como. O homem que prega a mudança nas práticas políticas vai se tornando pior do que aqueles que ele tanto critica.

Do Atual7


Antonio Pereira em reunião no Deint 3

O deputado Antônio Pereira (DEM) anunciou na quarta-feira (16) que, a seu pedido, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura (Sinfra), já começou os serviços de recuperação aos 125km da camada asfáltica da MA-006, no trecho de Arame a Grajaú, localizados na Região Central do Maranhão.

O anúncio foi feito depois que Antônio Pereira participou da reunião para tratar da  imediata recuperação da rodovia com o diretor-geral do Departamento Estadual de Infraestrutura e Transportes (Deint), Dr. Antônio Garrido, acompanhado do prefeito de Grajaú, Capitão Otsuka, e do vereador Dudu, de Arame.  

Na reunião, o democrata disse que o povo cobra a imediata recuperação da MA 006, que está tomada pelas crateras, causando prejuízos aos motoristas e  acidentes com vítimas fatais.  A obra beneficia também milhares de pessoas de Buriticupu, Formosa da Serra Negra, Fortaleza dos Nogueiras e Balsas. 

Antônio Pereira informou que a recuperação da rodovia beneficia, também, importantes povoados, como a Vila Faísa e a Vila do Incra,  localidades que concentram forte atividade agrícola e comercial, e abastecem as milhares de pessoas dos diversos assentamentos de reforma agrária da Região Central do Maranhão.

TRABALHO DESTACADO

O parlamentar agradececeu à governadora pela obra, que beneficia  pequenos agricultores e comeciantes, que  lutavam pela recuperação da rodovia estadual, considerada a espinha dorsal para escoar produtos agrícolas e transportar  mercadorias e passageiros entre Arame, Grajaú e o cruzamento da BR-316.

Em nome da população de Grajaú e de Arame, o prefeito Capitão Otsuka e o vereador Dudu também agradeceram à governadora Roseana Sarney pela recuperação da MA-006. Ambos destacaram a luta do deputado Antônio Pereira, junto ao Governo do Estado, para conseguir a recuperação da rodovia estadual.


10294444_523791591070693_6042006984481266437_n

Encenação da Paixão de Cristo pelas ruas da cidade.

DSCF0865

Pelo segundo ano consecutivo a Prefeitura de Presidente Dutra distribui peixe a famílias carentes do município. Este ano o Programa Peixe na Mesa entregou 16 Toneladas de peixe na sede e nos povoados. (Fotos Wilque Gomes e Malagueta Notícias)


http://www.luiscardoso.com.br/wp-content/uploads/2013/09/sarney-e-lula.jpg

Sarney com Lula: aliança histórica e perene.

Uma das desculpas dos aliados do chefão comunista Flávio Dino para justificar sua adesão ao candidato do PSDB a presidente, Aécio Neves – em troca de apoio no Maranhão – é uma suposta postura histórica idêntica do grupo Sarney.

Mesmo se a tese fosse verdade, Flávio Dino tinha obrigação moral de ser diferente, exatamente por que prega “a mudança de tudo o que está aí” – e se faz o mesmo, então por que mudar?

Mas o problema para os aliados comunistas é que Sarney nunca fez assim.

Filiado ao PMDB desde 1984, o senador José Sarney apoiou em 1989 – na primeira eleição direta para presidente após a Ditadura – exatamente o candidato do seu partido, Ulísses Guimarães (PMDB). No segundo turno, optou por Luís Inácio Lula da Silva, mesmo tendo o PT como principal adversário.

Nesta época, Flávio Dino já se preparava para a carreira de juiz, carreira que começou em 1991. E pouco se envolvia em política partidária, apesar da militância no PT na adolescência.

Em 1994, o PMDB novamente teve candidato, Orestes Quércia, e Sarney esteve com ele, numa eleição vencida por Fernando Henrique Cardoso (PSDB) no primeiro turno.

Em 1998, o PMDB apoiou a reeleição de FHC. Sarney seguiu o partido.

aecio

Aécio com Dino: para o comunista, qualquer um vale, desde que lhe apoie.

Flávio Dino, na época, resumia sua vida pública à atuação de juiz federal, sem nenhum envolvimento com a política partidária – pelo menos publicamente.

Em 2002, Sarney tinha a expectativa de ver a filha, Roseana Sarney (então no extinto PFL), como candidata a presidente – apoiada, inclusive, pelo PCdoB, que Dino viria a controlar a partir de 2006. Mas um golpe armado pelo PSDB inviabilizou a candidatura da então governadora.

Considerando-se covardemente traído pelo candidato tucano José Serra (PSDB), Sarney decidiu apoiar o candidato do PT, Luis Inácio Lula da Silva, que venceu a eleição.

Em 2006, Sarney novamente apoia Lula, agora de forma oficial, já que o seu partido fazia parte da coligação. Nesta época, Dino deixa a magistratura e disputa eleição pelo PCdoB, defendendo Lula, da mesma forma que Sarney – e sem se incomodar com isso.

A postura de Sarney se manteve a mesma em 2010, mesmo com Flávio Dino dividindo o palanque de Dilma no Maranhão.

E com a dupla Lula/Dilma Sarney seguirá em 2014,  ao contrário de  Flávio Dino, que, após passar quatro anos como auxiliar de Dilma, agora está alinhado ao projeto de Aécio Neves (PSDB).

Como se vê, em anos e anos de vida pública, Sarney sempre se manteve coerente politicamente, ao contrário de Flávio Dino.

Que em apenas oito anos na política, mostra-se absolutamente volúvel em nome do poder…


Lobão Filho e o pai MInistro Edison Lobão com o ex-presidente Lula.

Lobão Filho e o pai Ministro Edison Lobão com o ex-presidente Lula.

Não adiantou a pressão do chefão comunista Flávio Dino (PC do B) de querer conquistar na marra o apoio do PT maranhense à sua pré-candidatura ao governo do estado. A resposta veio na tarde desta segunda-feira dada pelo ex-presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva. “Não há possibilidade de apoio do PT a Flávio Dino”, disse Lula a Lobão Filho pré-candidato ao Governo do Maranhão pelo PMDB. Lobão Filho e Lobão pai foram recebidos pelo ex-presidente petista na sede do Instituto Lula em São Paulo na tarde desta segunda-feira 14/04. Na conversa, na qual Lobão Filho falou de seus projetos para o estado, Lula descartou apoio do PT a Flávio Dino, e ainda classificou de antiética a postura do chefão comunista, de acender vela para todos os candidatos a presidente. Falou a voz da experiência.

IMG_01691

Por falar nisso

Durante o final de semana que passou, o comunista se prestou a mais um papel ridículo. Desta vez, ao participar de um tal Encontro Estadual do PT em Apoio a Flávio e Dilma, também apelidado de  “Dia da Dignidade Petista”, promovido pelo boa vida Márcio Jardim e meia dúzia de gatos pingados que nem de longe representam a legenda no estado. No tal Encontro Estadual do PT, que se tornou uma grande mentira, pois o PT não promoveu oficialmente nenhum Encontro Estadual, se viu de tudo, menos petistas. Mas o chefão comunista compareceu, como se tudo fosse oficial. É claro que ele teria que comparecer. E compareceu, e até posou discursando na frente de um banner com a frase; “Sou Lula, Dilma e Flávio”. Pronto; a encenação estava feita. Depois foi só plantar a “notícia” nos Blogs nacionais amilhados do PSDB, no caso o do Josias Sobrinho, anti-Lula, anti-Sarney e anti-Dilma.

O que dirá agora o chefão comunista aos seus bajuladores e puxa-sacos que compareceram ao fracassado Encontro estadual do PT depois verem Lula declarando apoio total do PT a Lobão Filho?

Esse é o Flávio Dino que se conhece, o homem que “diz” querer mudar o maranhão e as práticas políticas, mas age igual ou pior àquilo que ele “afirma” tanto combater. É mole ou quer mais?


123»» Última
Página 1 de 311