Por Sukarno Cruz Torres

Este ano teremos eleições municipais, a pergunta mais importante que deveria sair da cabeça de cada eleitor, é a seguinte:

Meu candidato a Prefeito tem um planejamento de governabilidade com Responsabilidade Social?

Se a resposta for negativa, refaça a opção do seu voto, o futuro de nossa comunidade agradece. 

Nos últimos meses podemos perceber claramente, que a atual administração municipal nunca possuiu um planejamento de gestão administrativa para os seus oito anos de mandato, quanto mais um programa com Responsabilidade Social. Foi tempo perdido, oito anos seria o suficiente para investir num bom nível de atendimento as necessidades básicas da sociedade, levando satisfação a cada cidadão. A Prefeitura governou sem limites de aplicação de recursos para ‘poucos’ e os tornou abastardos, mas quando a demanda vinha da maioria carente, ofereceu a escassez de recursos, usando e abusando de medidas paliativas. Confundiu nesses 08 anos, Responsabilidade Social com Filantropia. Na sua campanha prometeu mudanças e evolução, mas durante o mandato, usou de métodos antigos, distribuiu “esmolas” sociais. Deveria ter efetivamente um planejamento coletivo para todo o mandato. Administrou na base da improvisação, quando era importante ter um plano de ação, onde o cidadão não precisasse ser sempre dependente do governo.

A questão da responsabilidade social vai, portanto, além da postura legal da administração municipal, da prática filantrópica ou do apoio à comunidade. Nesse caso, governar significa mudança de atitude, numa perspectiva de gestão com foco na qualidade das relações e na geração de valores para todos. O governante tem que pensar sempre numa gestão de forma coletiva e de olho no futuro, ou então criarão viciados em pequenos favores e ‘esmolas’ sociais, levando a sociedade à dependência.

Em Presidente Dutra, é possivel perceber um belo exemplo de um ‘gestor’ com atitudes para executar projetos com Responsabilidade Social. Observamos as obras da paróquia da cidade, que em termos proporcionais, em 08 anos fez pela sociedade muito mais que administração municipal e com menos recursos. Com a sua garra e talento para liderança, o Pároco reformou e reformulou o patrimônio da paróquia de maneira admirável e exemplar. Para toda essa reformulação na igreja e na comunidade, o Pároco usou apenas o básico: Atitude e vergonha na cara.

Hoje em dia, é quase impossível deixar de pensar em Responsabilidade Social, todo governo tem que ter um programa sócio cultural, um programa de educação e meio ambiente. O gestor responsável tem que pensar em programas de gestão com sustentabilidade. É importante que os nossos gestores acreditem que temas como Água, Reciclagem, Fauna e Flora, fazem parte do projeto moderno de gestão e podem levar a sua administração ao sucesso. Precisamos educar nossos jovens, para que com o conhecimento preservem o nosso meio ambiente e no futuro possam ser excluídos de culpas por danos causados.

O saneamento básico de Presidente Dutra pede socorro há muito tempo, temos esgotos para todos os lados, é uma vergonha. Alguém sabe para onde vai e como está sendo tratado o lixo da cidade? Os desmatamentos em volta da cidade e até mesmo dentro da cidade, não tem critério nenhum. Nossos igarapés e nascentes de água potável não possuem nenhuma política de proteção ambiental. Será que isso não é importante para a Administração Municipal?

Não adianta construir hospitais sem definir para onde vão os seus resíduos hospitalares e de que maneira esse lixo é tratado. Não adiantar construir escolas públicas de ensino básico sem definir como será o fornecimento de sua merenda escolar. É necessário saber, de onde vêm esses produtos, de que maneira são armazenados e o que é feito com as sobras do dia-a-dia. É comprovado através de pesquisas, que o desperdício de produtos de merendas escolares gira em torno de 20%. Se existisse um programa de gestão, este desperdício poderia está alimentando muita gente carente na própria comunidade. Medidas paliativas são irresponsáveis. É importante incentivar o ‘não desperdício’ dos alimentos e produtos, promovendo o seu aproveitamento integral e o prolongamento da sua vida útil.

Para que o leitor tenha ideia da importância de um programa de Responsabilidade Social, veja bem, por muito pouco não perdemos a implantação do Campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão – IFMA. Essa possibilidade de implantação do IFMA, não estava no planejamento da Prefeitura. Vale lembrar que inicialmente, a Prefeitura não atendeu ao pedido de estrutura para receber esse investimento. É uma iniciativa do governo federal, que em 2011 criou novos Institutos Federais em todo o Brasil, com algumas cidades contempladas no Maranhão, onde o pré-requisito colocado à frente da Prefeitura de Presidente Dutra, seria a doação de um terreno para a construção do mesmo. A implantação de um evento desse tamanho vai modificar completamente a rotina da cidade. É necessário ter um programa de gestão para atender as demandas que surgirão com o projeto. Como a nossa Prefeitura atual não tem esse planejamento, vamos sofrer até que o próximo Prefeito assuma a responsabilidade de estruturar a cidade para receber essa nova etapa.

Com a implantação do IFMA em Presidente Dutra, nossos jovens não precisarão ir para os grandes centros em busca de cursos profisionalizantes, todos serão beneficiados, independente da condição social ou financeira. No futuro teremos jovens preparados para o mercado de trabalho e a nossa cidade será um atrativo a mais para novos investimentos, gerando empregos e distribuição de renda para toda comunidade.

Estamos em um ano eleitoral, a administração municipal não fez o dever de casa quando solicitada e agora, após a pressão da sociedade, quer colher os frutos do investimento. Só para ficar bem claro, o terreno a ser doado é da Eletronorte e, para atender os meios legais, a Prefeitura será apenas uma intermediária entre a Eletronorte e o IFMA. A Eletronorte teve atitude e preocupação com a sociedade. Parabéns à Eletronorte pela doação.

adonias

Comentar

COMENTÁRIOS (3)

  1. Roberto Rivelino

    18/06/2012

    Olá Sukarno, quero parabinizá-los pelas sábias palavras expressadas nesse post. Se a sociedade deixar de ficar iludidade e realmente olhar a administração pública e a eleição num modo geral como um processo que merece atenção pois define o futuro do lugar e país em que vivemos, com certeza nossas cidades e nosso país melhorará e muito.

  2. JUNIOR

    18/06/2012

    Caro Sukarno,

    Realmente o pároco de nossa cidade demonstrou habilidade em administrar, porém, cabe ressaltar que só foi possível graças ao empenho de toda comunidade católica.

    Por sua vez, não verificamos uma participação efetiva
    de nossos Vereadores que não tem qualquer compromisso com a cidade, à medida em que não editam Leis relevantes, e o pior, não fiscalizam o Executivo que é função primordial dos mesmos.

    Por estas razões, fica o meu alerta aos cidadãos para que façam uma profunda reflexão e escolha seus representantes com responsabilidade. Tenhamos consciência que não somos apenas eleitores, somos parte essencial para o desenvolvimento de Pres. Dutra, uma cidade promissora mas que necessita de pessoas comprometidas para administra-la.

  3. Júnior - Filho da terra!

    18/06/2012

    Sábias reduntantes palavras, chove no molhado a cada post, retrato de um burguês puxando a sardinha pra seu lado. Farinho do mesmo saco, apto a influenciar os ignorantes “Maria vai com as outras”!
    Exemplos típicos de alguém criado com a visão dominadora, astuta e sorrateira, união perfeita do clero e a nobreza, da ditadura católica (dos padres pedófilos) aos pobres ricos coitados, que comem do filé fora do poder, e comem da picanha estando no poder, que brigam pelo bolsa miséria aos pobres, doam cestas de alimentos a todos eles, mas jamais brigam para o fim de tudo isso, que enxergam o absurdo alheio da administração alheia, e são advogados do diabo quando a ocasião lhe favorece. Tenho pena de nossa cidade, afinal de contas, quem pode, nada mais faz do que mensagens subliminares, tirando de um chiqueiro e lhe empurando num abismo. Qual a melhor opção???
    Hum, não entendo, de verdade, enquanto existir puxa-saquismo, existirão redundâncias e partidarismos fanáticos, que nada mais visam que seus próprios bolsos. E viva a CENSURA, VIVA O BOLSA MISÉRIA E aos mais de 100 mil maranhenses esperando em casa este auxílio, vida a estes que sempre elegem os mesmos. Viva a Igreja católica, que matou dezenas de pessoas, unicamente porque a terra era redonda, ou porque era cientista, viva a igreja católica dos pedófilos. E só pra terminar, viva a Eletronorte, (QUE É DO GOVERNO FEDERAL) que doou o terreno para a instalação do IFMA (QUE INCRIVELMENTE É DO GOVERNO FEDERAL) e que mesmo assim, a prefeitura, e que a Prefeitura vai acabar deixando ir pra outro lugar. Só me pergunto, onde anda a Dilma que não manda fazer e pronto?? Afinal de contas, quando queres construir Presídios Federais, os prefeitos lutam pra não instalarem, porque sabem que o municipio ficará desvalorizado perante alguns empresários, e mesmo assim, o GOVERNO FEDERAL vai lá e constrói mesmo assim, é engraçado essas coisas. Bom, fazer o que, incompencia a nível FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL. E um viva ao povo, afinal, já diziam, A VOZ DO POVO É A VOZ DE DEUS, por isso que JESUS FOI CRUCIFICADO… salvem BARRABÁS. Pobre Presidente Dutra!

Deixe uma resposta









*