O trio de arbitragem Rondoniense formado por Jonathan Antero Silva, Márcia Bezerra Lopes Caetano e Adenilson de Souza Barros, interferiu diretamente no resultado final do jogo de estreia do Cordino na segunda fase contra o Ferroviário-CE no último domingo. A partida terminou no empate em 3 a 3, porém, o terceiro gol do Ferroviário marcado pelo meia Janeudo, a bola bateu no travessão e ao tocar no gramado não ultrapassou a linha demarcatória, o árbitro central estava a menos de 5 metros do lance não validou o gol, mas o auxiliar Adenilson de Souza Barros, assumiu a responsabilidade e confirmou que a bola havia ultrapassado a linha e validou o gol. As imagens não deixam dúvidas, a bola não entrou.

Cabem algumas interrogações. Por que o representante da Federação Cearense de Futebol, estava nas dependências destinadas ao trio de arbitragem? Por que o Juiz central não validou o gol se o mesmo acompanhava o lance a menos de 5 metros ? Por que a auxiliar Márcia Bezerra Lopes Caetano abusou do excesso de autoridade?

Vamos aos fatos. Um diretor da Federação Cearense de Futebol antes e durante a partida estava  nas dependências destinadas ao vestiário do trio de arbitragem , inclusive deu entrevista ao companheiro de Imprensa  Kilmer de Campos da rádio Assunção de Fortaleza-CE, afirmando categoricamente  que a bola havia entrado. O árbitro central Jonathan Antero Silva, acompanhava o lance bem de perto e não validou o gol, só após seu auxiliar Adenilson de Souza Barros, correr para o meio campo ele resolveu confirmar o gol. A auxiliar Marcia Bezerra Lopes Caetano, se excedeu na sua autoridade, a ponto de solicitar a retirada do colega de imprensa Ivan Silva , estava trabalhando na transmissão e fez um comentário durante a transmissão dizendo que a auxiliar estava correndo atrasada em relação a linha do último defensor do Ferroviário, esse  comentário foi suficiente para a auxiliar solicitar ao árbitro que retirasse o profissional do gramado. Eu e a equipe da Rádio Cidade FM, também fomos atingidos pelo excesso de zelo da auxiliar, estávamos transmitindo o jogo ao lado do Banco de reserva do Cordino, local reservado em todos os jogos anteriores para a imprensa , fomos convidados a se retirar, tive que transmitir o jogo atrás do gol defendido pelo goleiro Leo do Ferroviário. A auxiliar em muitas oportunidades reverteu as cobranças de laterais cobrados pelos jogadores  do Cordino. A torcida do Cordino , ” Fúria da Onça ” emitiu uma nota de repúdio contra o erro grosseiro da arbitragem.  Sei que essa matéria não vai mudar o resultado do jogo, o Cordino já foi prejudicado e não tem volta. Mas vale um alerta ao presidente da Federação Maranhense de Futebol, Antonio Américo, que ele possa enviar um representante da federação para acompanhar o seu filiado à Fortaleza. Se aconteceram todos esses fatos aqui em Barra do Corda, em Fortaleza não será diferente.

Por: Dalvino Barbosa

Dalvino Barbosa

Professor Dalvino Barbosa.Graduado e com Especialização em Matemática, pela UEMA. Procuro sempre fazer o melhor dando o máximo da minha capacidade, Amo minha família,maranhense com muito orgulho.