“Prosseguindo no insidioso crime de caluniar e insultar a minha família, numa campanha sistemática e odiosa, sem precedentes na história política do Maranhão, os proprietários e responsáveis pelo Jornal Pequeno, seu diretor-geral, Lourival Bogéa, e sua diretora-presidente, Hilda Bogéa, chegaram ao limite do intolerável, por intermédio do seu jornal, renovando os seus ataques contra mim e meus familiares, revelando toda a falta de princípios morais e de honradez, mostrando a indignidade de que são capazes.

A edição do último domingo desse pasquim, que sobrevive da tentativa permanente de destruir a honra das famílias maranhenses, foi de uma violência sem limites. No propósito de atingir minha família, publicou, mais uma vez, e de maneira criminosa, covarde e desumana, a transcrição de conversas colhidas durante uma investigação em segredo de Justiça. Em manchete de primeira página, publicou fotografias de minha esposa e de minhas filhas, e transcreve diálogos nos quais nada há de reprovável ou passível de censura, apenas com o propósito de expô-las, de maneira negativa, à opinião publica. Essa conduta extrapola uma ofensa pessoal, para ser uma afronta a todas as famílias maranhenses, sempre preservadas da paixão política.

Lourival Bogéa, com a cumplicidade da diretora-presidente do Jornal Pequeno, Hilda Bogéa, sua mãe, não respeita ninguém no Maranhão. Basta que alguém contrarie os seus interesses, sempre movidos por razão menor, para que ele assuma a máscara do Dr. Peta (que quer dizer mentira), para caluniar, insinuar, ofender gratuitamente o desafeto, como autores, pessoalmente, ou como capangas de aluguel. Mas nada se compara ao que ele pratica diariamente contra a família Sarney. Eu mesmo tenho sido alvo dos mais graves crimes contra a honra, dos mais indignos insultos e calúnias, praticados numa perseguição hedionda e mesquinha. Esse jornal já chegou ao cúmulo de pregar a destruição dos veículos de comunicação que dirijo e desejar a morte de meu pai e de minha irmã.

Somente a certeza da impunidade pode levar Lourival Bogéa e Hilda Bogéa, responsáveis perante a lei por esses atos, a cometer, todos os dias, os mesmos crimes contra a honra das pessoas, sem que nada aconteça. Mas isso não deve continuar, não pode continuar. A liberdade de expressão, um bem sagrado da democracia, não comporta caluniadores, nem bandoleiros, nem mercenários travestidos de jornalistas.

Estou ingressando na Justiça contra Lourival Bogéa e Hilda Bogéa, responsáveis legais pelo que publica o Jornal Pequeno. Vou lutar, por todos os meios legais, em defesa de minha honra e da honra de minha família.

Cidadão agredido, pai ofendido, sei que é isso o mínimo o que me impõem o dever e a consciência.”

Fernando Sarney.

(Reproduzido de O Estado do Maranhão).

adonias

Deixe uma resposta









*