Na sessão do TSE desta terça-feira que terminou na madrugada de quarta, ficou definido pelos ministros que o governador do maranhão Jackson Lago (PDT) e seu vice Luis Carlos Porto permanecerão no cargo até que se esgotem todas as possibilidades de recursos no TSE – Tribunal Superior eleitoral. Em plenário, os ministros divergiram entre dar posse a Roseana ou convocar nova eleição no Maranhão. No entanto, seis dos ministros decidiram pela posse da segunda colocada no pleito de 2006,  seguindo o entendimento definido no julgamento do último dia 17 de fevereiro, quando o TSE cassou o mandato do governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) e deu posse ao segundo colocado, José Maranhão (PMDB), que já tomou posse. Apenas o ministro Félix Ficher votou pela realização de eleição indireta que seria feita pela Assembléia Legislativa do Estado.

Mais tarde volto com este assunto.

adonias

Comentar

COMENTÁRIOS (1)

  1. Rubens Costa

    04/03/2009

    Adonias,

    Resta agora, somente embargos de declaração… o que não é um novo julgamento, é mera correção de algum erro no acórdão publicado. E mais: agora não tem mais recesso… pra demorar os quase dois meses do Cassio Cunha Lima.
    Agora resta uma pergunta a você, com a cassação, ele perde os direitos politicos?

    Resposta: Perde sim, com certeza. Acredito que no máximo em 20 dias essa questão estará completamente resolvida. De uma coisa é certa: O TSE não volta atrás de sua decisão, ou seja: Jackson está cassado, esses 20 dias servirão para ele esgotar todas as suas chances de defesa, resumindo: É o direito de esperniar.

Deixe uma resposta









*